Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Prateleira vazia

05
Jan24

Bunny - Mona Awad

Margarida

She shivers at the view of the grand trees, as if they're not trees at all but something truly vile, like all the rosy-blond light that seems to forever bathe the campus is about to punch her in the face like a terrible fist of rich.

Este é um dos livros mais bizarros que já li, e certamente um dos meus favoritos de 2023. Este livro passa-se numa universidade de escrita frequentada maioritariamente por alunos de classe alta e segue a história da Samantha, uma estudante sem dinheiro no final do seu curso. Não quero revelar muito sobre a história, mas ela segue contornos perturbadores (sendo este um livro classificado como de terror) quando Samantha se aproxima dum grupo de amigas, com comportamentos dignos dos de um culto, que se chamam umas às outras de Bunny.

That I think she should apologize to trees. Spend a whole day on her knees in the forest, looking up at the trembling aspens and oaks and whatever other trees paper is made of with tears in her languid eyes and say, I'm fucking sorry.

Ora, a Samantha não foi uma personagem da qual gostei particularmente. Ela passa a maioria do livro em queixumes e a criticar os alunos ricos quando no fundo deseja ter as suas vidas afluentes e despreocupadas. Ela acaba por se redimir no ato final do livro por perceber que ela tem de facto controlo sobre a própria vida. No entanto, a personagem principal não tirou muito da experiência de leitura. A escrita é líndissima, com muitas descrições mas que não achei exageradas e está cheia de plot twists e peripécias bizarras.

Se tivesse de descrever resumidamente este livro, diria que é meio um Frankenstein moderno completamente estapafúrdio com fantasias sexuais ainda mais estapafúrdias. Apesar da bizarria, mesmo assim ainda existem momentos muito emocionais e tornou-se num muito bom livro com o qual acabar 2023.

Ethical, Bunny said, like we'd made the word up. Like it was just some silly monster we were trying to make out of our own hair, which she herself lovingly braided for us.