Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Prateleira vazia

07
Ago21

The Heart of a Dog - Mikhail Bulgakov

Margarida

20210802_164921.jpg

 

Ooow-ow-ooow-owow! Oh, look at me, I'm dying. There's a snowstorm moaning a requiem for me in this doorway and I'm howling with it

É esta sequência que dá início ao livro The Heart of a Dog de Mikhail Bulgakov, que rapidamente ganhou o título de uma das obras mais bizarras que já li, no melhor sentido possível. Toda esta é uma obra que satiriza fortemente a União Soviética pós revolução Bolchevique. Devido a isto, apesar de ter sido escrito em 1925, o livro foi fortemente censurado e apenas publicado na União Soviética em 1987. No entanto, não deixem que isto vos assuste, pois continua a ser um livro acessível e atual.

Muito sucintamente, este livro conta-nos, em 128 páginas, a história do Professor Preobazhensky que, através de uma operação cirúrgica, transplanta a hipófise e os testículos de um homem para um cão vadio, Sharik. Após este acontecimento, Sharik incorre numa transformação perturbadora a nível físico e psicológico a que Bulgakov não poupa quaisquer detalhes, por mais sangrentos e explícitos que sejam. 

O estilo de narração saltitante entre a primeira pessoa, Sharik, e a terceira pessoa foi dos aspetos que mais me fascinou no livro, permitindo-nos uma visão mágica de todos os acontecimentos e uma perspetiva única do ponto de vista dos vários personagens.

The whole horror of the situation is that he now has a human heart, not a dog's heart. And about the rottenest heart in all creation!

Este foi o segundo livro que li do autor, tendo sido o primeiro The Master and Margarita, este frequentemente nomeado como o seu melhor escrito. O meu primeiro contacto com os livros de Bulgakov deixou-me fascinada seja pela imaginação incrível do autor, a escrita belíssima ou as reflexões profundas sobre os mais diversos aspetos da condição humana.

Outro dos aspetos que mais me cativa é a exploração da sociedade soviética. O meu conhecimento em história, infelizmente, é limitado e por isso, sempre que um livro me dá a conhecer diversas épocas e acontecimentos longínquos, o meu interesse fica ainda mais cativado e fico motivada a ir investigar mais sobre o contexto histórico para ter uma maior perceção das referências feitas ao longo da narrativa.

Deixo-vos, assim, com esta minha primeira exposição aqui no blog, ficando bastante feliz por ter sido de um livro do qual gostei tanto. Espero que vos tenha inspirado a ler a obra ou a explorar mais sobre este autor. Não se esqueçam: vão de mente aberta e de estômago vazio.

Classificação: ★★★★★

 

comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.